Bem-vindo ao "SITE" Luar da Meia-noite.pt!

Alentejo Profundo

Navegação Pelos Textos

 

O concelho de Serpa fica localizado no sul de Portugal, junto à fronteira com Espanha, na denominada "Zona de Entre Mira e Guadiana" (que tem cerca de 5791 km2, ocupando 21,5% da área da região Alentejo). Os limites do concelho são definidos a oeste e noroeste pelo rio Guadiana, a este pelo rio Chança (fronteira) e a sul e a norte com a delimitação dos concelhos de Mértola e Moura, respectivamente. O concelho faz fronteira com os concelhos de Mértola, Beja, Vidigueira e Moura. O concelho de Serpa situa-se numa área com relevo ondulado, revelando estarmos em presença de terrenos xistentos, rocha que ocupa grande parte do Baixo Alentejo. A monotonia da peneplanície é a característica mais marcante da morfologia do distrito de Beja, sendo à volta desta cidade que a planície está mais bem conservada. É o vale encaixado do Guadiana que individualiza duas áreas, criando condições físicas, climáticas e paisagísticas diferentes entre as suas margens.O Baixo Alentejo é uma região com Verão quente e seco, com temperatura do mês mais quente (Julho) sendo 23,5ºC e Inverno fresco, com a temperatura do mês mais frio sendo 8,5ºC, com uma precipitação anual muito fraca e irregular e com quatro a seis meses secos. A humidade do ar é relativamente fraca no Verão (45%), havendo um período sem chuva de 3 a 4 meses, que pode atingir os 5 meses. Tal como Orlando Ribeiro escreve em "Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico" (edição de 1988), calor e secura resumem o clima desta parte do territóro português marcadamente mediterrâneo, parecendo-se "muito mais com as terras transmontanas do que com as planuras e colinas do litoral, que lhe ficam mais próximas". No concelho de Serpa, é importante a riqueza da flora do vale do rio Guadiana (que também se revela importante do ponto de vista faunístico: mamíferos, aves e peixes). A área do concelho é muito rica do ponto de vista fitogeográfico, salientado-se as seguintes espécies: montado de azinho e de sobro, matos, olival (associado a figueiras ou outras árvores de fruto ou/e a vinha). Os concelhos da Margem Esquerda do Guadiana, Barrancos, Moura, Serpa e parte do concelho de Mértola, constituem uma região individualizada que se distingue por alguns recursos atractivos: azenhas; praias fluviais, sendo a mais importante a da Mina de São Domingos; termas: as Águas da Ferradura no concelho de Serpa, a Água de Pisões em Moura, as Águas Santas da Morena em Mértola.
Em todos estes concelhos existem fortes vestígios da presença árabe, destacando-se as ruínas de Alcáçova islâmica, a Kabe mourisca e a cerâmica islâmica em Mértola, a torre mourisca de Salúquia, ruas da mouraria e poço árabe em Moura e, finalmente, a nora mourisca em Serpa.
Nora
O Pulo do Lobo é um poema, um monumento construído através dos tempos pela mãe Natureza. Dizem os peritos que foi formado há 5 milhões de anos devido às glaciações, que com a descida do nível médio do mar obrigaram o rio a formar a cascata do Pulo do Lobo, a maior queda de água do sul de Portugal, situando-se no rio Guadiana entre Serpa e Mértola.
Pulo do Lobo
As águas caem bruta e ferozmente de mais de 20 m de altura sumindo-se por uma garganta rochosa donde nasce um lago que, por contraste, parece adormecido entre as margens altas e pedregosas. O rio Guadiana que chega a medir 150 metros e que percorreu até este local 710 quilómetros, vê-se estrangulado e obrigado a passar por uma passagem estreita com pouco mais de 2 metros, ganhando as águas velocidade e uma força brutal, onde no meio resiste uma dura rocha que nem o tempo a gastou. Segundo reza a lenda, um lobo quando fugia dos caçadores pulou por essa rocha para a outra margem, não muito distante, mas os caçadores por covardia não o seguiram, pois um ligeiro deslize e era a morte do “artista”.
A Casa de Campo do Pulo do Lobo situa-se no extremo sul do concelho de Serpa, numa área de serra, um conjunto individualizado de pequenas elevações que se desenvolve a partir da Ribeira de Limas (a altitude máxima atinge-se em Água Negra, com 261 m). Esta área é marcada apenas por caminhos rurais e habitações dispersas, a maior parte delas já desabitadas. A Casa localiza-se no extremo norte do Parque Natural do Vale do Guadiana, que tem sede em Mértola.


Minas de S. Domingos

Não pode perder a oportunidade para visitar a Mina de São Domingos e conhecer um pouco mais sobre a história mineira do Alentejo.
Minas
Deve também visitar a praia fluvial da Tapada Grande.


Mértola

Vila Museu não dispensa uma visita.
Na região situa-se a área geográfica de produção, abate, desmancha e acondicionamento de “Carne de Bovino Mertolenga”(DOP) e “Alentejana”(DOP); a área geográfica de produção de: “Porco Alentejano”(DO), “Borrego do Baixo Alentejo”(IGP), “Azeite do Alentejo Interior”(DOP), “Mel do Alentejo”(DOP) e “Queijo de Serpa”(DOP).
Para mais informações sobre a região, consulte o site da Região de Turismo da Planície Dourada.
Aqui